Recados

3 - A cura do corpo

 O nosso corpo humano criado bom por Deus também sofre as consequências do pecado presente nas diversas formas de doenças que afligem a vida humana. Mas, na sua missão salvífica, Jesus assumiu a nossa dimensão corporal e carregou sobre si as nossas enfermidades (Mt 8,17).

Em Cafarnaum, diante da intercessão humilde e confiante do oficial romano, Jesus salvou o seu filho que estava à beira da morte (Jo 4,46-54). Na cidade de Naim, ao ver uma pobre viúva chorando a perda do seu único filho, teve compaixão e ordenou que o jovem morto se levantasse. “O morto sentou-se, e começou a falar”. Todos ficaram admirados e diziam: “Um grande profeta apareceu entre nós, e Deus veio visitar o seu povo” (Lc 7,1-17).

Com a vinda de Cristo “o Deus que cura” (Ex 15,26) veio morar definitivamente com a gente e passou a participar das alegrias e das esperanças, mas também das dores e tristezas da humanidade. Por isso, “Jesus andava por toda a Galileia, ensinando em suas sinagogas, pregando a boa notícia do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade do povo” (Mt 4,23). Se as doenças eram consequências do pecado de Adão – o que gerou a expulsão do Paraíso e a perda dos dons preternaturais da impassibilidade e da imortalidade – as curas e milagres realizados por Jesus, eram sinais de que o Reinado de Deus já havia começado com a sua Presença (Mt 11,2-11).

Sim, o tempo da salvação já começou com Jesus Cristo. As curas e os milagres operados por Ele são sinais e provas dessa salvação. Por isso, quando João Batista mandou perguntar a Jesus se Ele era mesmo o Salvador prometido por Deus ou se deveriam ainda esperar por outro, naquela mesma hora Jesus curou muitas pessoas de suas doenças, males e espíritos maus, e fez muitos cegos recuperar a vista. Depois respondeu:

 

Lc 7,22 Voltem, e contem a João o que vocês viram e ouviram: os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, e a Boa Notícia é anunciada aos pobres.

 

Jesus é a plena manifestação do poder e da misericórdia de Deus, ontem, hoje e sempre! Com Ele o Reino de Deus já está entre nós (Lc 17,20ss). A nós, os seus discípulos, concedeu o poder de ministrar gratuitamente a oração de cura do corpo em seu nome;

 

Mt 10,8 Curem os doentes, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios. Vocês receberam de graça, deem também de graça!

 

É claro que não devemos cair no fanatismo, pois o médico e a medicina também são instrumentos de Deus (Eclo 38,1-15). Mas vendo o exemplo de Jesus, dos Apóstolos e dos Santos da Igreja, percebemos como a oração por cura é agradável a Deus e como ele realiza maravilhas quando nos pomos a orar nessa intenção. 

Toda oração cristã sempre deve brotar do coração ungido pelo Espírito Santo, indo de encontro ao Coração de Deus. Não há uma receita formal para rezar por cura. Simplesmente devemos suplicar ou interceder com fé, porque é Jesus quem faz a bênção da cura acontecer.

Eis algumas indicações bíblicas que ajudarão a orar por cura:

 

- INVOCAR O REINADO DE DEUS: Antes de tudo, para nós mesmos ou para as pessoas por quem estamos orando, devemos buscar o Reinado de Deus e tudo mais será acrescentado segundo a vontade do próprio Deus (Lc 12,31). Ele é sábio em tudo que faz e a sua vontade sempre é para a nossa mais perfeita felicidade. Se o deixarmos reinar em nossa vida, todos os acréscimos serão bênçãos para a nossa salvação, tanto na terra como no céu. Não sejamos como pagãos que se interessam mais pelos “acréscimos” e esquecem-se completamente do reinado de salvação de Deus na sua vida. Quem assim age pode facilmente ser iludido pelo Maligno com falsas curas!

 

- MANIFESTAR CONFIANÇA TOTAL EM DEUS: Em segundo lugar, jamais podemos perder de vista que o Senhor é o nosso Pastor e nada nos faltará (Sl 23,1). Em momento algum Ele nos abandona, mas caminha muito perto de nós, concedendo-nos a graça da felicidade e da paz, mesmo em meio às maiores adversidades da vida: “Embora eu caminhe por um vale tenebroso, nenhum mal eu temerei, pois junto a mim estás; teu bastão e teu cajado me deixam tranquilo. Sim, felicidade e amor me acompanham todos os dias da minha vida” (Sl 23,4.6).

 

- SUPLICAR COM FÉ E AGRADECER: Por fim, como nos deixa entrever o Apóstolo João, a oração de cura deve ser movida pela fé e ministrada em nome de Jesus, denominando claramente qual a cura que precisamos: “Ao nos dirigirmos a Deus, podemos ter esta confiança: quando pedimos alguma coisa conforme o seu projeto, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve em tudo o que lhe pedimos, estamos certos de que já obtivemos o que lhe havíamos pedido” (1Jo 5,14-15).

 

A oração de cura é concluída com gratidão, pois é certo que Deus já está derramando bênçãos sobre bênçãos. Trata-se de tomar posse da bênção concedida e testemunhá-la publicamente!

O mesmo Jesus que “andava por toda a Galileia, ensinando em suas sinagogas, pregando a boa notícia do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade do povo” (Mt 4,23) está vivo e atuante no Sacramento da Eucaristia, o Pão da Vida (Jo 6,51). Dele sai uma força de salvação que cura a todos os que se aproximam com fé e humildade, como aconteceu com aquela mulher hemorroísa do Evangelho: “Quem me tocou? Senti uma força saindo de mim! – Fui eu, Senhor, que neste instante fui curada pela tua graça. – Sua fé curou você. Vá em paz!” (Lc 8,43ss).

Zele pela higiene e saúde do seu corpo. Valorize o seu corpo, pois ele é Templo do Espírito Santo. Viva com dignidade e autoestima, você é um filho de Deus. Você deve reproduzir no seu corpo a beleza do Criador, não a feiura de Satanás! Zele pela sua casa, local de trabalho, etc

 

MODP Eclesiástico 38,1-15