Recados

6 - Vocação para a santidade

 


 

Nossos primeiros pais Adão e Eva foram criados bons por Deus para serem o louvor da sua glória, num verdadeiro paraíso. Em um estado de santidade e justiça originais, viviam em plena harmonia entre si e com a natureza. Como diz a Escritura: “O que os olhos não viram, os ouvidos não ouviram e o coração do homem não percebeu, foi isso que Deus preparou para aqueles que o amam” (1Cor 2,9).

 

Ef 1,5 Ele nos predestinou para sermos seus filhos adotivos por meio de Jesus Cristo, conforme a benevolência de sua vontade, 6 para o louvor da sua glória e da graça que ele derramou abundantemente sobre nós por meio de seu Filho querido.

 

Esta vocação para a vida eterna é sobrenatural. Depende integralmente da iniciativa gratuita de Deus, pois apenas Ele pode se revelar e dar-se a si mesmo. Esta vocação ultrapassa a capacidade da inteligência e as forças da vontade do homem, como também de qualquer criatura (1Cor 2,7-9). (CIC, 1998)

 

O Paraíso do Éden era este estado de graça e santidade no qual o homem vivia nos inícios da História. Porém, o pecado original do orgulho e da desobediência contaminou tudo a partir das entranhas do coração humano e a corrupção se espalhou pelo mundo. O homem perdeu o acesso à Árvore da Vida e “a morte entrou na história da humanidade”.

 

Rm 5,12 Assim como o pecado entrou no mundo através de um só homem e com o pecado veio a morte, assim também a morte atingiu todos os homens, porque todos pecaram.

 

A justiça divina expulsou o homem do Paraíso e colocou os “querubins e a espada chamejante, para guardar o caminho da árvore da vida” (Gn 3,24). Mas esta mesma justiça divina é misericordiosa. Por isso Deus mesmo elaborou o plano de redenção da humanidade através do seu Filho Amado, na Graça do Espírito Santo, a fim de que o homem recuperasse o paraíso perdido e a vida sobrenatural. Por caminhos que só Deus conhece, o seu objetivo será alcançado ao longo da História da Salvação. Assim, a História da Salvação será a História da Graça de Deus agindo em favor do homem.

 

A glória de Deus é o homem vivo, e a vida do homem é a visão de Deus: se já a revelação de Deus por meio da criação proporcionou a vida a todos os seres que vivem na terra, quanto mais a manifestação do Pai pelo Verbo proporciona a vida àqueles que veem a Deus. (Santo Irineu)

 

Toda História da Salvação fala-nos de um Deus que se faz próximo de nós (Javé), que na plenitude dos tempos arma a sua tenda e vem morar no meio de nós (Emanuel) e depois, com mais radicalidade ainda, vem morar dentro de nós (Espírito Santo).

O Espírito Santo é a Graça incriada de Deus derramada dentro do nosso coração pela mediação do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, para que participe da sua vida divina, viva com dignidade e seja plenamente realizado na sua vocação humana e cristã.

 

Cl 1,21 Antigamente vocês eram estrangeiros e inimigos de Deus, por causa das obras más que praticavam e pensavam. 22 Agora, porém, com a morte que Cristo sofreu em seu corpo mortal, Deus reconciliou vocês, para torná-los santos, sem mancha e sem reprovação diante dele. 23 Isso tudo, sob a condição de que vocês permaneçam alicerçados e firmes na fé, sem se deixarem afastar da esperança no Evangelho que vocês ouviram, e que foi anunciado a toda criatura que vive debaixo do céu. Eu, Paulo, me tornei ministro desse Evangelho.

 

Deus nos criou muito bons, com selo de qualidade. Foi o pecado que feriu a nossa natureza. Santificação não se contrapõe com a humanização pois é quanto mais humanos formos que mais santos seremos.

 

MOPD Colossenses 1,21-23