Recados

6 - Salvos pela Graça

 


 

Às vezes as pessoas imaginam que podem se salvar sozinhas ou por causa das suas boas obras ou sacrifícios. Porém, a verdade é que ninguém se salva pelo bem que faz ou por algum sacrifício que atravesse na vida. O único sacrifício que nos salva é o do Calvário, quando Jesus derramou o Sangue da Nova e Eterna Aliança para a remissão dos pecados. A força do pecado vai além de nós e da nossa vontade e ninguém pode satisfazer a justiça divina, a não ser o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

 

Ef 2,1 Vocês estavam mortos por causa das faltas e pecados que cometiam. 2 Outrora vocês viviam nessas faltas e pecados, seguindo o modo de pensar deste mundo, seguindo o príncipe do poder do ar, o espírito que agora age nos homens desobedientes. 3 Antigamente também nós andávamos como eles, submetidos aos desejos da carne, obedecendo aos caprichos do instinto e da imaginação; como os outros, éramos, por natureza, merecedores da ira de Deus. 4 Mas Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, 5 deu-nos a vida juntamente com Cristo, quando estávamos mortos por causa de nossas faltas. Vocês foram salvos pela graça! 6 Na pessoa de Jesus Cristo, Deus nos ressuscitou e nos fez sentar no céu. 7 Assim, com sua bondade para conosco em Jesus Cristo, ele quis mostrar para os tempos futuros a incomparável riqueza da sua graça. 8 De fato, vocês foram salvos pela graça, por meio da fé; e isso não vem de vocês, mas é dom de Deus. 9 Isso não vem das obras, para que ninguém se encha de orgulho. 10 Porque foi Deus quem nos fez, e em Jesus Cristo fomos criados para as boas obras que Deus já havia preparado, a fim de que nos ocupássemos com elas.

 

Importa enfatizar bem, porque o demônio tenta de tudo para afastar as pessoas da salvação em Jesus. Ele sabe que só existe salvação aos pés da cruz, por isso faz de tudo para desviar as pessoas de Jesus.

 

Ninguém é salvo por uma caridade que faz, pelo dízimo que devolve a Deus na Igreja, por passar anos e anos prostrado em uma cama ou por ser muito dedicado no trabalho de evangelização.... Somos salvos somente pela Graça de Deus mediante a fé e o batismo em Jesus Crucificado.

 

Ef 2,8 De fato, vocês foram salvos pela graça, por meio da fé; e isso não vem de vocês, mas é dom de Deus. 9 Isso não vem das obras, para que ninguém se encha de orgulho.

 

A fé sem obras é morta. Mas não somos salvos pelas obras que testificam a veracidade da fé, mas pela fé em Jesus Salvador que é testificada pelas obras!

Uma pequena comparação. Uma dona de casa, para limpar o chão cheio de lama, usa um pano limpo. Vai passando o pano na lama e lavando num balde d’água. Com o tempo, o chão fica limpo, pois o pano foi chupando toda sujeira. Jesus se fez homem semelhante a nós, menos no pecado. Um homem inteiramente limpo, um Cordeiro sadio e sem mancha alguma. Assumiu a nossa condição humana, tornou-se próximo da humanidade. Então, atraiu para si todos os pecados e culpas do homem e lavou tudo no seu Sangue derramado na Cruz. Assim nos limpou, assim nos justificou, reabilitando-nos diante do Pai e nos tornando herdeiros do seu Reino.

 

2Cor 5,21 Aquele que nada tinha a ver com o pecado, Deus o fez pecado por causa de nós, a fim de que por meio dele sejamos reabilitados por Deus.

 

Ninguém pode se lavar sozinho. Ninguém pode se redimir sozinho. Na noite do lava-pés, quando deu um grande exemplo de amor e serviço, Jesus disse a Pedro: “Se eu não te lavar, não terás parte comigo!” (Jo 13,8) Jesus estava se referindo a esta missão de nos tornar puros, de nos limpar dos pecados e culpas, porque somente os purificados são felizes e podem entrar no Reino do Céu.

O salário do pecado é a morte. Jesus morreu não por que cometeu pecado, mas ao atrair para si nossos pecados, ele os assumiu, morreu na Cruz e venceu o pecado e toda maldade pela oblação de amor da sua vida. Se Jesus não tivesse assumido em si mesmo os nossos pecados ele nunca teria morrido.  A linguagem da Cruz não é a linguagem de um madeiro sem vida, mas da vida de Jesus que por amor morreu por nós, morreu no nosso lugar.  

Então, Jesus sofreu no seu corpo as consequências negativas dos nossos pecados, mas também sofreu na sua alma os pecados da humanidade em si mesmos. No final, o amor venceu, pois de um lado Ele perdoou aqueles que o maltrataram, e pelo seu Sangue redimiu e lavou os pecados da humanidade, e nos justificou.

Como em toda a sua vida, também na cruz o nosso Salvador não se entregou ao ódio, mas perdoou os seus algozes. Sempre vencendo o mal pelo bem e transformando a desgraça do pecado em graça de salvação, da vitória de Jesus sobre o mal, nasceu uma nova humanidade, redimida da culpa e resgatada para o Paraíso que havia perdido. A todos aqueles que se arrependem e lhe abrem o coração através da fé, independentemente do seu passado, Ele concede os benefícios da sua paixão, como aconteceu com aquele ladrão arrependido que estava pregado ao seu lado: “Ainda hoje estarás comigo no paraíso!” (Lc 23,43)

 

MOPD Efésios 2,1-10