Recados

5 - Consagrados a Deus


Consagrar significa separar e dedicar, mediante um rito uma coisa ou pessoa “inteiramente” para Deus e seu serviço. Por isso a consagração sempre redunda em uma missão.

Aquilo ou aquele que a Deus é consagrado, mediante um ritual, sai do profano para o sagrado e tem um serviço específico na Presença de Deus. Assim, um prédio consagrado para ser uma Igreja mediante um ritual, torna-se uma espaço sagrado a serviço da glória de Deus e da evangelização. Um objeto dourado ou prateado é consagrado mediante um ritual como um sacrário para guardar com todo respeito a Hóstia consagrada. Um jovem é tirado do meio do povo e do mundo e consagrado a Deus mediante um ritual como sacerdote, ou como freira, ou como leigo consagrado numa vocação específica e irá dedicar toda a sua vida a Deus e sua Igreja.

Jesus é o Cristo, o Consagrado ao Pai Celeste por excelência com a unção do Espírito Santo e veio ao mundo para evangelizar os pobres, proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação da vista, para libertar os oprimidos e para proclamar o Tempo da Graça do Senhor (Lc 4,18-19).     

Pelo ritual do sacramento do Batismo que Jesus mesmo instituiu (Mt 28,19), o cristão é consagrado para Deus “por Cristo, com Cristo em Cristo” e também terá a missão de evangelizar o mundo, para que o mundo seja completamente de Deus. Ou seja, aquele que foi consagrado no Batismo tem a missão de consagrar o mundo para Deus.

A consagração batismal é a fonte de toda santificação e a base de todas as outras consagrações específicas na Igreja, como a consagração dos sacerdotes, dos casados, das freiras e dos leigos consagrados numa vocação laical específica. O que caracteriza todas consagrações é sempre esta realidade de tirar do profano para o sagrado e mediante um ritual separar e dedicar totalmente para Deus e para o serviço específico que Ele mesmo designou.  

O santo é um homem marcado com a Cruz, tirado do meio do mundo e consagrado totalmente para Deus. Está no mundo, mas não é do mundo e nem é amigo do mundo. O homem velho é sepultado com Cristo para “assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos por meio da glória do Pai, assim também nós possamos caminhar numa vida nova” (Rm 6,4).

O que é consagrado não pode ser profanado pelo mundo e pelo pecado. Uma Igreja, um sacrário, uma pessoa que a Deus pertence, pertence a Ele com exclusividade, e não tem nada com o mundo, a não ser a missão de evangelizar o mundo para que este também seja consagrado a Deus. Deixe de ser mundo e passe a ser Reino de Deus.  

 

Rm 6,6 Sabemos muito bem que o nosso homem velho foi crucificado com Cristo, para que o corpo de pecado fosse destruído e assim não sejamos mais escravos do pecado. 11 Assim também vocês considerem-se mortos para o pecado e vivos para Deus, em Jesus Cristo. 13 Não ofereçam os membros como instrumento de injustiça para o pecado. Pelo contrário, ofereçam-se a Deus como pessoas vivas, que voltaram dos mortos; e ofereçam os membros como instrumento da justiça para Deus. 19 Assim como antes vocês puseram seus membros a serviço da imoralidade e da desordem que conduzem à revolta contra Deus, agora ponham seus membros a serviço da justiça para a santificação de vocês. 20 Quando eram escravos do pecado, vocês eram livres em relação à justiça. 21 Que frutos colheram então? Frutos de que agora se envergonham, pois o fim deles é a morte. 22 Mas agora, livres do pecado e tornados escravos de Deus, vocês dão frutos que conduzem à santificação e o fim deles é a vida eterna. 23 Pois a morte é o salário do pecado, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Jesus Cristo, nosso Senhor.

 

Pela consagração batismal fomos santificados para Deus. Saímos do império do pecado para o Reino da Graça. Por isso podemos oferecer a Deus o nosso próprio corpo como hóstia viva. Este é o verdadeiro culto espiritual.  

 

Rm 12,1 Irmãos, pela misericórdia de Deus, peço que vocês ofereçam os próprios corpos como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus. Esse é o culto autêntico de vocês. 2 Não se amoldem às estruturas deste mundo, mas transformem-se pela renovação da mente, a fim de distinguir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que é agradável a ele, o que é perfeito.

 

À medida que oferecemos a Deus o sacrifício santo e agradável do nosso próprio corpo, não podemos amoldar-nos às estruturas deste mundo. Devemos transformar-nos pela renovação da mente, a fim de distinguir qual é a vontade de Deus: o que é bom, o que é agradável a ele, o que é perfeito.

O santo é um homem sábio e com a mente renovada. É um homem com muito discernimento. Ele não é ingênuo diante do mundo, suas seduções e ideologias pagãs. Por que o príncipe deste mundo é o Diabo (Jo 16,11) que nos rodeia como leão a rugir, sempre procurando a quem devorar (1Pd 5,8).

O mundo faz de tudo para nos profanar e distanciar de Deus e da verdadeira felicidade. Já vi esposas, vejam só, esposas esbravejando a sangue e fogo, igual mutuca vermelha, porque o marido caminha na Igreja. Parece brincadeira, mas já vi, e às vezes esbravejam mais do que esposas cujos maridos levam o tempo em jogos e bebedeiras que o mundo oferece para a perdição das famílias.

Quantas vezes percebi pessoas sendo desanimadas no seguimento de Jesus por ataques diabólicos que partiam de pessoas que as amam realmente. Sim, o Maligno é tão astuto que chega a usar pessoas que amamos ou que nos amam para nos desanimar na caminhada.

Vi também o círculo do mundo sempre se voltando contra quem caminha, tudo para desanimar, confundir e desequilibrar o discípulo de Jesus.

Além de que, muitas vezes vi pais dando tudo para os seus filhos curtirem o mundo, aprenderem futebol, balé, karatê... Embora essas coisas não sejam necessariamente ruins, mas os mesmos pais não incentivam e às vezes até impedem os filhos de seguirem Jesus com prontidão.

Vi tudo isso. E às vezes os discípulos não percebem que o Maligno está agindo de forma sorrateira no meio do mundo, e acabam levando rasteira e caindo. Por isso, todo cuidado com o mundo é pouco!

Na visão profética Ezequiel 9 o emissário de Deus marcou com uma Cruz somente os indivíduos que se lamentavam e gemiam por causa das abominações que se faziam no meio do mundo. Esses foram poupados da matança geral. Somente esses foram salvos. Devemos viver a nossa consagração batismal, zelando pelo que somos e fazemos em cada consagração específica, sempre fugindo de toda profanação mundana. Isto é ser santo. Este é o caminho da santidade e da verdadeira vida.  

 

MOPD Romanos 12,1-2

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Deus Bendito da Aliança, hoje renovamos a nossa consagração batismal, dedicando ao Senhor toda a nossa vida, tudo o que somos e tudo o que temos.

Somos teus, Senhor. Estamos no mundo, mas não somos do mundo e nem queremos amizade com o mundo!

Assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos por meio da glória do Pai, assim também nós possamos caminhar numa vida nova. Sabemos muito bem que o nosso homem velho foi crucificado com Cristo, para que o corpo de pecado fosse destruído e assim não sejamos mais escravos do pecado.

Consideramos que estamos mortos para o pecado e vivos para Deus, em Jesus Cristo. Por isso não oferecemos os nossos membros como instrumento de injustiça para o pecado. Pelo contrário, oferecemo-nos a Deus como pessoas vivas, que voltaram dos mortos; e oferecemos os membros como instrumento da justiça para Deus. Assim, livres do pecado, somos escravos da justiça divina. Assim como antes colocamos nossos membros a serviço da imoralidade e da desordem que conduzem à revolta contra Deus, agora colocamos nossos membros a serviço da justiça para a nossa santificação e santificação da nossa família. Livres do pecado e tornados escravos de Deus, queremos produzir frutos de vida nova que conduzem à santificação, cujo fim é a vida eterna. Pois a morte é o salário do pecado, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Jesus Cristo, nosso Senhor.

Saímos do império do pecado para o Reino da Graça. Por isso hoje oferecemos a Deus o culto autêntico com a entrega do nosso próprio corpo como hóstia viva.

Iluminados pelo Espírito Santo não nos amoldamos às estruturas deste mundo. Transformados pela renovação da mente, te pedimos o discernimento para sempre distinguir qual é a tua vontade, ó Deus Bendito, o que é bom, o que é agradável a ele, o que é perfeito.

Dai-nos a sabedoria diante do mundo, para não sermos ingênuos diante das suas seduções, mentiras e ideologias pagãs.

Muito obrigado por tudo, meu Senhor e meu Deus. Sou teu, completamente teu, hoje e sempre. Amém.