Recados

5 - O pecado original é muito atual

  O homem, instigado por Satanás, pecou, errou o alvo, prevaricou:

 

- Caiu na tentação do Maligno. Não deu ouvidos ao Criador. Pecado da desobediência.

 

- Iludiu-se. Quis ser igual a Deus, como se pudesse viver sem a sua Graça. Pecado do orgulho.

 

- Abusou da liberdade e quis dar a si próprio, por conta própria, a lei do bem e do mal, desconsiderando a Vontade do Criador. Pecado da embriaguez de autonomia.

 

O Catecismo da Igreja ensina:

 

Em consequência do pecado original, a natureza humana está enfraquecida em suas forças, submetida à ignorância, ao sofrimento e à dominação da morte, e inclinada ao pecado (inclinação chamada de ‘concupiscência’). (418)

 

As consequências negativas do pecado se propagaram por toda humanidade e atravessaram a História até os dias de hoje.   

Deus fez o universo e o homem muito bons. Mas existe um mundo corrupto e fechado para a Graça Divina que é produto do pecado do homem. O paraíso e o homem vivo são obras de Deus. O mundo com seus ossos ressequidos são obras do homem e de Satanás coligados no pecado. O que o amor de Deus criou, o pecado danificou.

 

Gn 6,5 Javé viu que a maldade do homem crescia na terra e que todo projeto do coração humano era sempre mau. 6 Então Javé se arrependeu de ter feito o homem sobre a terra, e seu coração ficou magoado. 8 Noé, porém, encontrou graça aos olhos de Javé.

 

A Graça Divina compõe a melodia da vida. Cabe ao homem escrever a letra e cantá-la, ou não. Mas infelizmente, o homem não quis cantar a beleza da vida como um grande hino de glória ao seu Senhor e Criador. Satanás atrapalhou a sinfonia inicial, e continua sempre querendo desafiná-la. E, muitas vezes consegue, mas sempre com a nossa cooperação.

Deus criou tudo do nada... Porém, sem Deus, virando as costas para Ele, fazemos da nossa vida um “nada”: “Nada” de uma família destruída; “Nada” da natureza em pânico; “Nada” de uma pessoa vazia e sem sentido para viver; “Nada” das drogas, cachaça, libertinagem sexual, ódio, misérias... E o pior, “Nada” de uma vida condenada ao inferno por toda eternidade.

Desde os inícios o Diabo tenta o homem para o pecado porque tem inveja de Deus. Ele quer que toda criação, inclusive o homem e a mulher, voltem a ser um “nada”, deixem de existir. Deus nos criou para uma eternidade de salvação, a vida em plenitude que começa nesta terra e se prolonga no céu. Satanás quer nos destruir para que tenhamos uma eternidade de condenação, o inferno.

Deus Pai é o Amigo da Vida, e por amor, chamou-nos à existência. Este foi o seu primeiro ato salvífico. O Diabo é o Príncipe deste mundo (Jo 16,11) de trevas e só vem para mentir, matar e destruir. Não nos iludamos. Só existe vida em Deus. Em Satanás, só a morte. O pecado é toda atitude que vai contra o projeto de vida de Deus. Ele sempre causa dor e sofrimento, seja para o próprio pecador, seja para os seus semelhantes.

Jamais podemos matar a Deus com o nosso pecado. As consequências negativas do nosso erro atingem somente a nós mesmos e nossos semelhantes, a começar pelos que nos são mais próximos, os nossos familiares.

O pecado original é muito atual. Cada vez que se afasta de Deus e age contra a sua Lei, o homem concupiscente comete um pecado pessoal, é ignorante e ingrato. Preferindo as trevas à luz, troca a benção pela maldição, visto que o salário do pecado continua sendo a morte (Rm 5,23).

Toda vez que o homem quer viver sem Deus e a sua Lei, ele está sendo ignorante, insensato, orgulhoso e desobediente. Jesus diz que a insensatez, a falta de juízo, é muito perigosa, contamina por dentro e leva a óbito (Mc 7,22). O salmista rezava:

 

Sl 92,2 É bom agradecer a Javé, e tocar para o teu nome, ó Altíssimo; 3 anunciar pela manhã o teu amor e tua fidelidade pela noite, 4 com a lira de dez cordas, com a cítara, e as vibrações da harpa: 5 porque teus atos, Javé, são a minha alegria, e as obras de tuas mãos o meu júbilo. 6 Como são grandes tuas obras, Javé, e teus projetos, como são profundos! 7 O imbecil não os compreende, o idiota não entende nada disso.

 

As consequências do pecado contra o Amor e a Verdade do Criador foram e continuam sendo muito desastrosas. O pecado afasta de Deus, da Árvore da Vida, do paraíso e o homem se torna escravo das suas próprias ignorâncias e paixões carnais desordenadas.

 

Rm 1,18 A ira de Deus se manifesta do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens, que com a injustiça sufocam a verdade. 19 Pois aquilo que é possível conhecer de Deus foi manifestado aos homens; e foi o próprio Deus quem o manifestou. 20 De fato, desde a criação do mundo, as perfeições invisíveis de Deus, tais como o seu poder eterno e sua divindade, podem ser contempladas, através da inteligência, nas obras que ele realizou. Os homens, portanto, não têm desculpa, 21 porque, embora conhecendo a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças. Pelo contrário, perderam-se em raciocínios vazios, e sua mente ficou obscurecida. 22 Pretendendo ser sábios, tornaram-se tolos, 23 trocando a glória do Deus imortal por estátuas de homem mortal, de pássaros, animais e répteis. 24 Foi por isso que Deus os entregou, conforme os desejos do coração deles, à impureza com que desonram seus próprios corpos. 25 Eles trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém. 26 Por isso, Deus entregou os homens a paixões vergonhosas: suas mulheres mudaram a relação natural em relação contra a natureza. 27 Os homens fizeram o mesmo: deixaram a relação natural com a mulher e arderam de paixão uns com os outros, cometendo atos torpes entre si, recebendo dessa maneira em si próprios a paga pela sua aberração. 28 Os homens desprezaram o conhecimento de Deus; por isso, Deus os abandonou ao sabor de uma mente incapaz de julgar. Desse modo, eles fazem o que não deveriam fazer: 29 estão cheios de todo tipo de injustiça, perversidade, avidez e malícia; cheios de inveja, homicídio, rixas, fraudes e malvadezas; são difamadores, 30 caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, soberbos, fanfarrões, engenhosos no mal, rebeldes para com os pais, 31 insensatos, desleais, gente sem coração e sem misericórdia. 32 E apesar de conhecerem o julgamento de Deus, que considera digno de morte quem pratica tais coisas, eles não só as cometem, mas também aprovam quem se comporta assim.

 

Por ser Bom e Poderoso, o Pai Eterno tomou as nossas dores e jamais nos abandonou, mesmo quando o abandonamos. Por isso, logo após a queda de Adão, o Bom Deus entrou em ação e prometeu resgatar a humanidade decaída. Desde esse momento a humanidade esperou ansiosamente o seu Salvador.

 

MOPD Romanos 1,18-32