Recados

2 - Uma vida em resgate de muitos


Por mais que nos esforcemos não conseguimos nos salvar sozinhos. Somos totalmente dependentes da Graça de Deus porque o pecado original feriu a nossa natureza e nos tornou concupiscentes:

 

Rm 7,14 Sabemos que a Lei é espiritual, mas eu sou humano e fraco, vendido como escravo ao pecado. 15 Não consigo entender nem mesmo o que eu faço; pois não faço aquilo que eu quero, mas aquilo que mais detesto. 16 Ora, se eu faço o que não quero, reconheço que a Lei é boa; 17 portanto, não sou eu que faço, mas é o pecado que mora em mim. 18 Sei que o bem não mora em mim, isto é, em meus instintos egoístas. O querer o bem está em mim, mas não sou capaz de fazê-lo. 19 Não faço o bem que quero, e sim o mal que não quero. 20 Ora, se faço aquilo que não quero, não sou eu que o faço, mas é o pecado que mora em mim. 21 Assim, encontro em mim esta lei: quando quero fazer o bem, acabo encontrando o mal. 22 No meu íntimo, eu amo a lei de Deus; 23 mas percebo em meus membros outra lei que luta contra a lei da minha razão e que me torna escravo da lei do pecado que está nos meus membros.

 

São Gregório de Nissa disse:

 

Doente, a nossa natureza precisava ser curada; decaída, ser reerguida; morta, ser ressuscitada. Havíamos perdido a posse do bem, era preciso no-la restituir. Enclausurados nas trevas, era preciso trazer-nos a luz; cativos, esperávamos um salvador; prisioneiros, um socorro; escravos, um libertador. Essas razões eram sem importância? Não eram tais que comoveriam a Deus ao ponto de fazê-lo descer até a nossa natureza humana para visitá-la, uma vez que a humanidade se encontrava em um estado tão miserável e tão infeliz?

 

O pecado não é só um ato. O pecado em nós é uma força de escravidão da qual só Jesus pode nos libertar, e mais ninguém.

 

Jo 8,36 Quem comete o pecado, é escravo do pecado. Por isso, se o Filho os libertar, vocês realmente ficarão livres.

 

Esta é a realidade. A força do pecado vai além da nossa capacidade. No que se refere à salvação não basta só ter vontade ou boas obras. Precisamos da Graça de Jesus, porque só ele pode nos libertar deste “corpo de morte” (Rm 7,25).

Nos tempos da escravidão os abolicionistas faziam campanhas para pagar pela libertação dos negros. Ao menos legalmente, os negros resgatados por dinheiro tornavam-se cidadãos livres diante dos seus antigos senhores e da sociedade em geral. Nós também éramos escravos do pecado e condenados à morte eterna (Rm 6,20.23), mas Jesus Cristo, o Filho do Deus Vivo, veio em nosso socorro e “pagou um alto preço” pelo nosso resgate (1Cor 6,20).

Jesus “veio para servir e dar a vida como resgate em favor de muitos” (Mc 10,45). Estávamos numa situação de desespero e escravidão. O preço do nosso resgate custou o Sangue de Cristo derramado na cruz. Ele não veio para nos condenar, mas para nos salvar. Veio nos resgatar do lamaçal da morte e das trevas do pecado e nos devolver o paraíso perdido.

 

1Pd 1,18 Pois vocês sabem que não foi com coisas perecíveis, isto é, com prata nem ouro, que vocês foram resgatados da vida inútil que herdaram dos seus antepassados. 19 Vocês foram resgatados pelo precioso sangue de Cristo, como o de um cordeiro sem defeito e sem mancha. 20 Ele era conhecido antes da fundação do mundo, mas foi manifestado no fim dos tempos por causa de vocês. 21 Por meio dele é que vocês acreditam em Deus, que o ressuscitou dos mortos e lhe deu a glória, de modo que a fé e a esperança de vocês estão em Deus.

 

Somente alguém com um amor tão imenso como o de Jesus Bom Pastor seria capaz de salvar a humanidade:

 

Jo 10,11 Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida por suas ovelhas. 12 O mercenário, que não é pastor a quem pertencem, e as ovelhas não são suas, quando vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e sai correndo. Então o lobo ataca e dispersa as ovelhas. 13 O mercenário foge porque trabalha só por dinheiro, e não se importa com as ovelhas. 14 Eu sou o bom pastor: conheço minhas ovelhas, e elas me conhecem, 15 assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu dou a vida pelas ovelhas. 16 Tenho também outras ovelhas que não são deste curral. Também a elas eu devo conduzir; elas ouvirão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor. 17 O Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la de novo. 18 Ninguém tira a minha vida; eu a dou livremente. Tenho poder de dar a vida e tenho poder de retomá-la. Esse é o mandamento que recebi do meu Pai.

 

MOPD 1 Pedro 1,18-21