Recados

1 - Jesus de Nazaré, o Filho do Deus Vivo

 O cristão é aquele que decide ser discípulo de Jesus Cristo. Para ser discípulo de Jesus é necessário saber quem é o verdadeiro Jesus do Evangelho que vamos seguir por toda a nossa vida, porque muitas vezes aparecem “falsos cristos”, que fazem grandes sinais e prodígios, a ponto de enganar até mesmo os eleitos de Deus (Mt 24,24). Basta ver o grande número de seitas que anunciam “falsos cristos” completamente diferentes de Jesus de Nazaré e com doutrinas completamente diferentes da verdadeira doutrina que Ele ensinou.

Um certo dia, Jesus estava rezando num lugar retirado e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou: “Quem dizem as multidões que eu sou?” Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros, que é Elias; outros ainda, que é Jeremias, ou algum dos profetas.” Então Jesus perguntou-lhes de forma mais pessoal: “E vocês que convivem comigo, vocês que são meus discípulos, quem dizem que eu sou?” Movido pelo Espírito Santo, Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo.” (Mt 16,13ss; Lc 9,16ss)

Sim, o verdadeiro Jesus é o Cristo, o Filho do Deus Vivo. Pedro respondeu corretamente e Jesus confirmou: “Você é feliz, Pedro, porque não foi um ser humano que lhe revelou isso, mas o meu Pai que está no céu.” (Mt 9,17) “A fé vai mais longe que os simples dados empíricos ou históricos, e é capaz de apreender o mistério da pessoa de Cristo na sua profundidade” (Bento XVI). Jesus de Nazaré é o Cristo, o Messias enviado pelo Pai Celeste cheio do Espírito Santo para salvar a humanidade. Ele é o Filho do Deus Vivo e portanto, Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo.

Logo após Jesus fala da fundação da sua Igreja sobre a rocha firme da fé professada por Pedro: “Você é Pedro, e sobre essa pedra construirei a minha Igreja, e o poder da morte nunca poderá vencê-la. Eu lhe darei as chaves do Reino do Céu, e o que você ligar na terra será ligado no céu, e o que você desligar na terra será desligado no céu.” (Mt 16,18-19) A sua Igreja, a Igreja de Pedro, para que ninguém confunda com alguma seita, terá a missão de anunciar o verdadeiro Evangelho da Salvação. Aonde estiver Pedro, e seus sucessores, os papas, ali estará a verdadeira Igreja de Jesus, sempre Una, Católica e Apostólica.

Jesus ordenou aos discípulos que, ao menos por enquanto, não dissessem a ninguém que ele era o Cristo (Mt 16,20). Pedro respondeu corretamente, mas ainda não tinha entendido profundamente o que significa Jesus ser o Cristo e o impacto desta verdade de fé na vida dos seus seguidores.

Jesus Cristo começou a mostrar a eles que devia ir a Jerusalém, e sofrer muito da parte dos anciãos, dos chefes dos sacerdotes e dos doutores da Lei, e que devia ser morto e ressuscitar ao terceiro dia. Então Pedro levou Jesus para um lado, e o repreendeu, dizendo: “Deus não permita tal coisa, Senhor! Que isso nunca te aconteça!” Jesus, porém, voltou-se para Pedro, e disse: “Fique longe de mim, Satanás! Você é uma pedra de tropeço para mim, porque não pensa as coisas de Deus, mas as coisas dos homens!” (Mt 16,21-22) Era assim que Jesus discipulava, com Amor e Verdade, com incentivo, mas também com exortação.

Jesus de Nazaré, o Filho do Deus Vivo é centro da nossa fé e a razão da nossa esperança. O Cristo histórico é o mesmo Cristo da fé católica. Jesus de Nazaré evoca a sua encarnação, quando Ele se fez homem e armou a sua tenda no meio de nós. O Filho do Deus Vivo evoca a sua divindade. Ele é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. “E nós contemplamos a sua glória: glória do Filho único do Pai, cheio de amor e fidelidade.” (Jo 1,14)

“A fé não se limita a proporcionar alguma informação sobre a identidade de Cristo, mas supõe uma relação pessoal com Ele, a adesão de toda a pessoa, com a sua inteligência, vontade e sentimentos, à manifestação que Deus faz de Si mesmo. Deste modo, a pergunta de Jesus: ‘E vós, quem dizeis que Eu sou?’, no fundo está impelindo os discípulos a tomarem uma decisão pessoal em relação a Ele. Fé e seguimento de Cristo estão intimamente relacionados” (Bento XVI). Que o nosso encontro pessoal com Jesus nos faça renascer para uma vida nova e que Ele mesmo vá discipulando nos Amor e na Verdade. Alguns não compreenderão, outros poderão até abandoná-lo. Quanto a nós, responderemos mais uma vez e sempre com Simão Pedro:

 

Jo 6, 68 A quem iremos, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. 69 Agora nós acreditamos e sabemos que tu és o Santo de Deus!

 

MOPD João 6,60-71