Frutos do Espírito Santo: a Paciência

A Paciência

Furtos do Espírito Santo


 “O Senhor não demora em cumprir o que prometeu, como alguns pensam, achando que há demora; é que Deus tem paciência com vocês, porque não quer que ninguém se perca, mas que todos cheguem a se converter. Considerem que a paciência de Deus tem em vista a nossa salvação” (2 Pd 3, 9.15).

 

 “Tu, porém, nosso Deus, és bom e fiel, és paciente e governas tudo com misericórdia” (Sb 15, 1). A paciência é atitude divina. Deus é o primeiro ser paciente. Ele, que tem sede de nós, tem esperado pacientemente que nos voltemos a Ele, pois tem em vista a nossa salvação. Deus é paciente por excelência, “amor que não se cansa de amar” e de esperar. Mesmo que estejamos distantes d’Ele, ainda assim, espera as nossas demoras.

A paciência está diretamente ligada à perseverança e, principalmente, a uma certeza firme de que Deus está no controle de tudo. Devemos ser pacientes porque sabemos que para além das situações vivenciadas por cada um de nós, há Deus cuidando de nossa vida e salvação.

Em todas as dimensões de nossa vida encontraremos adversidades, situações que escaparão ao nosso controle. E claro, em cada situação seremos nós os responsáveis pela maneira como responderemos a ela. Precisamos perceber que Deus controla aquilo que não podemos controlar. Não tomemos para nós as cargas que só o Senhor pode carregar.

Somos inclinados a querer controlar totalmente todas as situações, como se elas dependessem apenas de nossa vontade para se concretizarem e se não conseguimos o que pretendíamos nos frustramos, e fechamos qualquer espaço para o crescimento da paciência. Suponhamos que você espere a visita de um amigo muito querido, está tudo certo que ele virá e você o aguarda ansiosamente. Mas ele viria de ônibus e uma greve paralisou o trânsito. Estava tudo acertado entre vocês, mas o amigo não conseguiu chegar. E agora o que fazer? Há fatores independentes de nossas atitudes influenciando os eventos de nossa existência.

Paciência também é estar preparado para lidar com os fatos inesperados, com os imprevistos que a nossa vida diária certamente trará. Por mais calculistas que formos sempre as situações irão além das nossas frágeis capacidades humanas. Por que isso acontece? Não somos senhores de nossa vida nem das circunstâncias que nos envolvem. Só Jesus Cristo é o Senhor de tudo e é n’Ele que devemos colocar toda a nossa confiança, certos de que nada acontece sem o seu consentimento e “que tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8, 28).

Entretanto, a nossa sociedade não nos convida a sermos pacientes. A vida frenética que levamos nos exige apenas eficiência. Tudo deve ser realizado o mais rápido possível. É preciso produzir mais em menos tempo. As comidas são instantâneas, com apenas um click resolvemos várias coisas no mundo virtual (internet). E quando nos deparamos com as situações do cotidiano não conseguimos mais esperar. Os cinco minutos de preparação daquele macarrão instantâneo passam a ser uma eternidade. Estamos sendo moldados para a impaciência. Não aprendemos a lidar com imprevistos, com os desapontamentos, agimos com ira ao sermos contrariados, não conseguimos lidar com as dores, frustrações ou sofrimentos como sendo coisas passageiras, não percebemos que a partir de uma situação dolorosa Deus pode transformar a nossa existência.

Cultivar o fruto da paciência não é tarefa fácil, mas é fundamental para a nossa perseverança na caminhada discipular. Se não formos pacientes não chegaremos até o final e não alcançaremos o prêmio reservado para nós. Estaremos sempre sofrendo com as demoras das pessoas, suas maneiras de agir, e até com as demoras de Deus porque nem sempre o tempo de d’Ele é igual ao nosso. E aí o que faremos? Poderemos ser pacientes e continuar caminhando, ou com a mão posta no arado olhar para trás e desistir do Caminho.  É nas tribulações que se aprenderá a paciência. Aprendamos a perder o tempo necessário ao nosso crescimento e daqueles que estão ao nosso lado. A formação humana e a santidade levam uma vida inteira, sempre estaremos em direção a algo que jamais alcançaremos aqui.

É a paciência que nos permitirá perseverar no Caminho escolhido apesar das adversidades. Ela nos fará suportar os pesos do dia-a-dia, não que tenhamos forças sozinhos para isso, mas porque sabemos que não estamos abandonados nesse percurso. Jesus foi paciente durante toda a jornada que o levou até a cruz, sofreu muito, mas sabia que o Pai estava no controle de tudo. Assim, imitemos ao Senhor.

Como todos os outros frutos do Espírito, a paciência somente será gerada em nós se dermos espaço para isso. É preciso permanecer unido à videira, permanecer em Cristo. Meditação Orante da Palavra de Deus (MOPD) diariamente, eucaristia e adoração são vitais para nossa sobrevivência como discípulos. Os frutos nos fazem cada vez mais parecidos com Jesus, ou seja, pelos frutos cultivados em nós as pessoas verão que somos de Cristo.

Deus cuida de nós! Sejamos pacientes, Ele está no controle de tudo! Deixemos que Ele vá aonde não podemos ir. Apenas permaneçamos em Sua Presença e a caminhada, o Espírito Santo conduzirá.

 

 

Edilma Saboia

Discípula Consagrada de Aliança do DJC

Artigo Anterior: Frutos do Espírito Santo: A Paz

 Série Frutos do Espírito Santo

Continua no próximo artigo!

 Imagem: Livro foto criado por wirestock - br.freepik.com

Comentários